quinta-feira, 30 de julho de 2009

Caribe, rock e calor….

DSC01101 Eita! que o calor em Vancouver esta me fazendo lembrar de Palmas, no Tocantins (Brasil!). E eu, que era tão acostumada com temperaturas acima dos 35 graus…as vezes ate 40… Estou sentindo “na pele”e em todo o corpo os 34 graus de Vancouver como se fosse meus antigos 40.

Na verdade, Marco ate fica tirando sarro da minha cara porque sempre disse para ele que isso aquinunca esquentava muito não. Tá eu sabia que aqui chegava aos 30 e poucos graus, mas não pensei que já teria me acostumado com o friozinho e sentiria tanto o calor. rs … E se para mim está dificil, dá até pena observar alguns canadenses derretendo pela rua.

Mas vamos às vantagens… essa semana eu me arrisco a entrar no mar. Vou poder ir a praia como ia ao Brazil e nadar um pouquinho no mar (Gente! eu adoro água), só vai faltar a água de coco gelada. uh!

Bem, nessa brincadeira de mudança de temperatura peguei uma gripezinha que me derrubou uns dois dias (ei! nada de gripe suina… um resfriado na verdade.), mas ja estou bem e planejando o que fazer na próxima segunda, que por aqui é feriado (BC day – dia da provincia). Sugestões são bem vindas.

No mais, o último fim de semana foi bem legal e eu queria comentar um pouquinho.

Caribean Festival

Em North Vancouver estava acontecendo o Caribean Festival e passsamos por lá no sábado. Um clima super agradável… música animada, comida típica, barraquinhas vendendo de tudo um pouco.. roupas com a nossa cara mais latina, bijuterias e até roupas de frio vindas do nepal.. uma mistura e tanto. DSC01094

O legal é que o festival era dividido em duas ilhas. De um lado o palco com shows (não somos do caribe mais teve música brasileira  tbem), um jeito mais familia, o povo na grama, milho, refrescos, total relax…. na outra o cercadinho da bebida. Ali o festival pegava fogo. DSC01091

Beer

Um detalhe a comentar: Aqui é proibido beber em lugares públicos. só se pode consumir bebida alcoolica em bares  ou em casa. E elas só são vendidas em bares ou em lojas chamadas “Liquor Store”, lojas que tem que ser autorizadas pelo governo até onde sei…

Então em alguns festivais eles criam esse cercadinho para que o pessoal possa beber. O local é todo fechado e tem seguranças na entrada e saida e alguns circulando dentro. Menor de idade nem pensar.

Outro detalhe é o preço da cerveja. Ser viciado em cerveja aqui não é para qualquer um. Acho o preço bem carinho. Um copo como esse ai na minha mão na foto, que equivale a uns 250 ml ou 300.. custa 5 dolares. Em alguns bares as vezes vc encontra Pintcher ( que sao jarras) mais baratos (de 7 a 12 dolares)… compensa mais pelo menos.

O último detalhe.. a cerveja aqui nem de longe é gelada como a nossa!!!!. kkk

Virgin Festival

DSC01109 Pra terminar o fim de semana. Ganhamos um par de ingressos em uma promoção de um jornal daqui para o Virgin Festival em Burnaby. Eu que não tenho lá muita sorte em concursos fiquei animadissima.. e fomos ao Deer Lake Park para conferir.

O  Virgin Festival acontece em várias cidades canadenses. É um festival de rock alternativo patrocinado por uma companhia telefinica daqui. Fomos no domingo e assistimos ao show do Ben Harper. Adoramos!

O que mais gostamos foi o clima do local. Nada daqueles shows com todo mundo se esmagando, mas um bem woodstock: o povo sentado na grama. Gente de toda a idade. Super gostoso de ver.

O local tbem foi muito bem aproveitado com o cercadinho da bebida, várias barraquinhas de comida e de empresas locais.. Um lugar para descanso com pufs e cositas mais.. bem interessante. Valeu!

I need go now….

Kisses for evebody e até a próxima.

TCHAU See you!

Ah! ai embaixo, deixo um video mostrando um pouco do festival.. e também uma brincadeira com o Marco. É que nós não somos assim tão fãs de rock.. mas foi divertido conhecer….

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Fireworks

Sempre adorei o filme mágico de Oz. Gosto da mensagem por trás da historia, de que todas as respostas sempre estão com vc e, que sonhos podem ser alcançados e que só dependem de nos.

Bem, mas não estou aqui para falar do mágico de Oz. Pelo menos não diretamente. Já vi varia versões da história, mas ontem a acompanhei de uma forma completamente diferente e encantadora. Dessa vez, A trilha sonora não embalou pessoas, ou bichos, ou animações. Embalou luzes. 25 minutos de fogos de artifício nos contando a historia de Dorothy e seus amigos e a busca por seus sonhos.

Fiquei apaixonada!


Fireworks
Ontem foi o primeiro dia do "HSBC Celebration of Lights" - uma competição de fogos de artifícios aqui em Vancouver.

.

.

.

.

.

.

.

.

A competição acontece durante quatro dias. Ontem foi a noite do Canadá (com o tema ”O mágico de OZ"). Sábado e a vez da África do Sul. Ainda temo UK, na próxima quarta (29/07) e China no próximo sábado (01/08).

A apresentação de fogos acontece na English Bay, mas tbem pode ser assistidos de diversos pontos da cidade, como Kitsilano, jericho beach,West Vancouver. Mas a vantagem de ir a English bay e poder ouvir a musica que acompanha as luzes e também sentir a vibração do pessoal.

Começa às 10 da noite, mas o ideal e ir mais cedo e garantir um cantinho na areia. Alem do que, tem que ir preparado para enfrentar uma boa caminhada e filas nos ônibus e skytrain para voltar para casa, mas vale à pena.

Fiz um vídeo de 2 minutos com alguns dos, que foram para mim os melhores momentos da apresentação de ontem.

Abraços a todos que passam por aqui..

See you.


video

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Mountain View

Voltando a falar do meu cemiterio vizinho, semana passada ele foi reaberto, com direito a tour guiados, apresentacao de musica classica, e algumas pessoas ate arriscaram um timido piquenique por la.


A ideia da administracao e que o cemiterio seja mais utilizado pelas pessoas como um parque mesmo. Eu que ja me acostumei a usar o meu vizinho para caminhadas, descobri algumas coisas bem legais por la.



Primeiro que eles construiram um espaco com jardim, fontes e banquinhos. lindissimo! Uma paz para relaxar ou estudar... recomendo.


Outra coisa legal que eles fizeram foi um jardim em homenagem aos recem nascido enterrados no local... ta ficando uma gracinha. O predio do escritorio e um salao para eventos tambem foram construidos.




No inicio era bem estranho imaginar utilizar um cemiterio como parque, mas aqui eles sao muito cuidadosos e realmente valorizam a utilizacao dos espacos.

Curiosidades
O meu cemiterio vizinho (Mountain View Cemitery) e o unico que fica dentro da cidade de Vancouver e funciona desde 1887. Tem pessoas importantes da cidades enterradas la, Um espaço onde so os judeus ortodoxos sao enterrados. Este lugar é delimitado por um " evergreen hedge" .
Perto tem um santuario Chinês budista, construído em um bloco de dezesseis covas, onde os serviços religiosos são mantidos para os mortos, sempre tem incensos queimando.
Ha ainda uma parte dedicada aqueles que morreram na guerra.













segunda-feira, 13 de julho de 2009

Alice no país das maravilhas

DSC01037

DSC01010"Alice in Wonderland" ou Alice no pais das maravilhas, é a obra mais conhecida de Lewis Carroll e uma das mais célebres do gênero literário nonsense, sendo considerada obra clássica da literatura inglesa..

Estou falando desse livro porque este fim de semana, dezenas de Alice’s circularam em um parque aqui em Vancouver. Alices altas, baixinhas, loirinhas, morenas ou asiáticas... comportadas, improvisadas ou sexy... o importante era sentir se parte de um mundo fantástico.

Além da personagem principal Alice, ainda encontramos o chapeleiro louco, uma mesa montada para o chá, cavaleiros, rainhas, coelhos.... e outros personagens fantásticos, alguns que não estavam na obra de Lewis Carrol, mas que resolveram visitar o “trout Lake Park” assim mesmo.

DSC01022Este foi o 15 ano do festival Alice in Wonderland tea party. Muita gente foi fantasiada e outros só para se divertir, fazer piquenique no parque ou rir um pouco das fantasias.

Também teve apresentações teatrais e uma grande mesa com bolo, frutas e chá, para que quisesse provar. Tudo by donation, ou seja vc pagava quanto pudesse pela comida.. ou levava a sua própria, como alguns grupos fizeram.

Ah! Também teve banda e até uma parada de Alice’s.

Sobre o livro

O livro conta a história de uma menina chamada Alice que cai em uma toca de coelho e vai parar num lugar fantástico povoado por criaturas peculiares e antropormoficas.

A obra faz brincadeiras e enigmas lógicos, o que contribuiu para sua popularidade. Carroll também faz alusões a poemas da era vitoriana e a alguns de seus conhecidos, o que torna a obra mais difícil de ser compreendida por leitores contemporâneos. É uma das obras escritas da literatura inglesa que tiveram mais adapDSC01009tações na história do cinema, TV e teatro.

Essa obra foi fundadora de um novo jeito de história, o surrealismo, e tem uma enorme importância literária, sendo uma história aparentemente infantil, porem com uma mensagem subliminar que poucos conseguem compreender.

O livro pode ser interpretado de várias maneiras. Uma das interpretações diz que a história representa a adolescência, com uma entrada súbita e inesperada (a queda na toca do coelho, iniciando a aventura), além das diversas mudanças de tamanho e a confusão que isso causa em Alice, ao ponto de ela dizer que não sabe mais quem é após tantas transformações (o que se identifica com a psicologia adolescente). Também é possível dizer que a obra faz referências a questões de lógica e à matemática, matéria que Carroll lecionava. Um exemplo é o debate que Alice faz com o Chapeleiro e a Lebre de Março sobre relações inversas (o Chapeleiro argumenta que ver o que se come não é o mesmo que comer o que se vê.

"Você pode chegar a qualquer parte, sempre que andar o suficiente." – Lewis Carroll em Alice no País das Maravilhas.

Mais fotos do Festival

DSC01006 DSC01015 DSC01013 DSC01018

DSC01017 DSC01019 DSC01035

DSC01023 DSC01033 DSC01031 DSC01029

TCHAU See you…

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Chuchitos…

DSC00968 Hoje experimentei tradicional comida maia. Uma das senhoras do grupo onde voluntario é da guatemala e cozinhou para nós hj.  A comida é feita com frango, um molho picante com bastante cebolinha verde e coentro e chuchu. Uma delicia!

Pra acompanhar ela trouxe uns bolinhos que se parecem com pamonha. Também sao feitos com milho e leite e cozido na palha do milho.. mas nada parecido com as nossas pamonhas brasileiras.

Deu uma saudade danada de morder uma daquelas pamonhas doces da minha mãe ou uma daquelas temperadas vendidas lá na feira da 304 sul em Palmas.

A pamonha da dona Paula (que se chama chuchito)  não era ruim não.. mas bem diferente, começando pela cor branca do milho. Mas não pensem que o milho aqui é ruim não. Em alguns festivais, se tiverem a oportuniddae de provar, comam o milho que eles fazem assado no bafo.. ( na churasqueira tipica daqui)... É div ino! tem um sabor muito próprio.. doce, levemente salgado.. dificil de descrever.. mas muito bom.

Agora falando da comida da guatemala...

Berço da civilização Maia, a Guatemala possui uma gastronomia tão rica quanto antiga. No dia-a-dia, o milho é o ingrediente coringa em pratos como tortillas, Enchiladas, Chuchitos e Tamalitos.

Além do milho, a pimenta e o feijão são iguarias que se destacam. Uma característica forte da culinária é que tudo é feito com base no modo de preparo dos antepassados, como exemplo o tomate, a cebola e o alho, que são cozidos em uma chapa e não na panela.

Guatemala e os maias. untitled

Situada na América Central e tendo por vizinhos o México, Honduras e Belize, a Guatemala tem a particularidade de  cinquenta por cento da sua população ser de origem Maia, e muitos dos restantes ladinos, isto é, mestiços.

O número e as raízes profundas da sua cultura justificam que esta continue viva apesar das agressões contínuas; afinal, esta é a civilização que desenvolveu um calendário onde já se previam os eclipses do Sol e da Lua, conhecia o conceito de zero em matemática, e foi este o primeiro povo da região a criar uma escrita própria e a possuir livros.

 

TCHAU See you…

quarta-feira, 8 de julho de 2009

I’m from Hong Kong

 hong_kong_pol98

Hongers é como o pessoal de Vancouver chama aqueles que vem de Hong Kong.  Usar essa palavra para denominar os chineses vindos de Hong Kong é uma particularidade de Vancouver, estava me explicando a minha professora de inglês, que tbem veio de Hong Kong.

Resolvi falar disso, porque me chama a atenção como o pessoal vindo de Hong Kong não gosta dos chineses vindos da China. Muito estão aqui no Canadá, justamente porque não aceitaram Hong Kong ter voltado ao dominio chinês.

Quando vc conversa com alguem vindo de Hong Kong não o chame de chinês, ele nunca vai te dizer que veio da China, vai te dizer: Ï`m from Hong Kong”. É assim que eles se sentem, estava me explicando a professora. “Consideramos Hong Kong superior a China”, me disse ela.

Para quem não sabe, Hong Kong é um grande centro internacional de finanças e possui umas das economias mais liberais do mundo. Antiga colônia britânica agora é administrada pelo governo chinês, mesmo assim ainda possui bastante diferenças da China, como um próprio sistema legal, moeda, regras de trânsisto e leis de imigração. artist

Outra curiosidade é que a maiorias das pessoas que vem de Hong Kong não fala m andarin, mas Cantonês. O cantonês na verdade é um dialeto chinês, mas possui status de língua, inclusive com literatura própria. Aqui aprendi que é errado dizer que o chinês fala chinês: ele fala mandarin ou cantonês. Fique atento!

800px-Hong_Kong_Night_Skyline

terça-feira, 7 de julho de 2009

Canada Day

DSC00874

Tudo bem! sei que ando um pouco atrasada, afinal o Canada day foi a uma semana atras. Mas, ja dizi o ditado:  “Antes tarde do que nunca”. rs

Esse foi o nosso primeiro Canadá day. Então ficamos naquele clima de quem não quer perder nenhum detalhe. Começamos o nosso touDSC00949 r pelo Canadá Place. O lugar estava lotado e cheio de atrações e shows. Senti que erDSC00882a mais um lugar para turistas ou recem chegados como a gente. A maioria dos moradores de Vancouver ou do pessoal que ja mora aqui a algum tempo prefere procurar um lugar mais tranquilo.

O Canada fez 141 anos. A data aqui seria o equivalente no Brazil, ao dia da independencia, mas a comemoração é bem diferente. Eles comemoram o pais, as pessoas, o estilo de vida canadense, a diversidade.. é bem interessante.

Além do Canadá Place fomos a Granville Island, onde estava rolando o jazz festival e também o Mela – um festival cultural bem legal. Assistimos algumas apresentações de musica indiana, africana e jamaicana.. Uma animação só.

Enecerramos o dia na Geórgia Street assistindo a Parada… mas não deu pra ver muita coisa, porque o lugar tava lotado. Ano que vem queremos chegar mais cedo. Mesmo assim deu pra capturar algumas cenas que eu to postando no video ai embaixo. DSC00879

DSC00951 Guerra e Paz

No mais, algumas coisas chamaram a nossa atenção nesse Canadá Day. Uma delas foi a liberdade de expressao do canadense. Enquanto o exercito, a marinha e a aeronautica faziam uma mega exposição e centenas de pessoas tiravam fotos com soldados, em aviões, ou com bazucas, do lado uma timida manifestação contra a presença do Canadá na guerra no afeganistão. O Canadá, assim como o Brazil, é um pais que nunca se envolveu em guerras. É um país de paz (no caso do Brazil é complicado,porque em algumas cidades brasileiras a guerra é urbana e todos os dias fere e mata centenas).

Voltando ao Canadá, muita gente é chateada com o fato do governo canadense ter apoiado a guerra no afeganistão. “Como um país que refugia pessoas, pode ir a guerra?” enfatizou uma das manifestantes enquanto conversava com a gente.

Hino do Canadá

Outra curiosidade é que é no Canada day que o governo canadense realiza a cerimonia de entrega da cidadania. Nada melhor que o dia do Canadá, para começar a ser cidadão canadense. E para ser cidadão, o hino ai embaixo tem que estar na ponta da lingua.

“O Canada! Our home and native land!
True patriot love in all thy sons command.
With glowing hearts we see thee rise,
The True North strong and free!
From far and wide, O Canada,
We stand on guard for thee.
God keep our land glorious and free!
O Canada, we stand on guard for thee.

O Canada, we stand on guard for thee!”

Tradução da letra:
Ó, Canadá! Nossa casa e terra nativa!
Verdadeiro amor patriota, em vossos filhos comanda.
Com corações em brilho nós vemos vós ascender
O Norte Verdadeiro forte e livre!
De longe e largo, ó, Canada,
Nós ficamos de guarda para vós.
Deus guarde nossa terra gloriosa e livre!
Ó, Canadá, nós ficamos de guarda para vós.
Ó, Canadá, nós ficamos de guarda para vós!

 

Algumas imagens da Parada do Canada day em Vancouver

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Qualquer semelhança é mera coincidência

Um titulo sugestivo talvez, mas o motivo é que tenho encontrado muitas semelhanças entre Vancouver e o litoral catarinense. Alguns pontos desta cidade tem trazido a minha mente, lembranças das cidades catarinenses onde tive o prazer de morar por muito tempo como Balneário Camboriú e Florianópolis.BALNEARIO VERSUS VAN

A primeira dessas semelhanças me encontra com mais freqüência; principalmente quando vou ao trabalho em North Vancouver e de lá vejo o centro da cosmopolita Vancouver: o mar e exuberantes arranhas-céu que muito me lembram Balneário Camboriu com seus predios modernos e charmosos.

No entanto, quando revisito a Balneário dos anos 80, com uma arquitetura mais nostálgica de prédios quadrados, como os velhos edifícios Miramar, Imperador e o Diplomata, é para a English Bay que eu viajo.

Quando passo pela English Bay, sempre fico um pouco nostálgico, sentindo o que era a minha Balneário Camboriu com turistas vindos de todas as partes do Brasil e do Mercosul para usufruir as praias e as belezas naturais de Balneário Camboriu.

Na última terça-feira, fui a Victória e durante a viagem, enquanto avistava a ilha de Vancouver recordava de Ilha de Florianopolis vista da cidade de Governador Celso Ramos. Quem já teve a oportunidade de visitar Governador celso Ramos vai se lembrar que, de todas as suas principais praias é possível avistar Ilha de Santa Catarina – Florianopolis.

ilhas

Mas de todas as semelhanças que fui encontrando por aqui, a que mais me chama a atenção e a vista noturna da Lions Gate Bridge, ponteque muito se parece com a ponte Hercílio Luz, marca registrada de Florianópolis.

Ambas mostram toda a sua beleza quando o sol se põe e as luzes se acendem. Da mesma maneira que, as duas, tem uma história de muito esforço e dedicação empregado em sua construção. História que, para mim, sempre foi inspiração para superar obstáculos e prosseguir na busca de meus projetos. Na foto ai do lado, se vc se confundiu, a resposta estara no final do texto.

Em Florianópolis, enquanto fazia faculdade, sempre me surpreendia observando a ponte Hercílio Dias, que é motivo de muito orgulho para aquela cidade, assim como a Lions Gate aqui.

Agora, nesta nova vida, com novos projetos para construir e metas para alcançar, me conforta observar a Lions Gate e saber que, como muitos vancouverites, posso ter aquele monumento histórico e arquitetônico como fonte de inspiração.

Agora observe vc mesmo as fotos ai e talvez, vc descubra que elas são mesmo muito parecidas ou que, na verdade, a única semelhança entre elas é que todas fazem parte de mim e da minha história.

(Pra esclarecer, na foto das pontes a de cima é a Lions Gate Bridge e abaixo a ponte Hercilio Luz)

See you

texto postado por Marco.

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Caribe, rock e calor….

DSC01101 Eita! que o calor em Vancouver esta me fazendo lembrar de Palmas, no Tocantins (Brasil!). E eu, que era tão acostumada com temperaturas acima dos 35 graus…as vezes ate 40… Estou sentindo “na pele”e em todo o corpo os 34 graus de Vancouver como se fosse meus antigos 40.

Na verdade, Marco ate fica tirando sarro da minha cara porque sempre disse para ele que isso aquinunca esquentava muito não. Tá eu sabia que aqui chegava aos 30 e poucos graus, mas não pensei que já teria me acostumado com o friozinho e sentiria tanto o calor. rs … E se para mim está dificil, dá até pena observar alguns canadenses derretendo pela rua.

Mas vamos às vantagens… essa semana eu me arrisco a entrar no mar. Vou poder ir a praia como ia ao Brazil e nadar um pouquinho no mar (Gente! eu adoro água), só vai faltar a água de coco gelada. uh!

Bem, nessa brincadeira de mudança de temperatura peguei uma gripezinha que me derrubou uns dois dias (ei! nada de gripe suina… um resfriado na verdade.), mas ja estou bem e planejando o que fazer na próxima segunda, que por aqui é feriado (BC day – dia da provincia). Sugestões são bem vindas.

No mais, o último fim de semana foi bem legal e eu queria comentar um pouquinho.

Caribean Festival

Em North Vancouver estava acontecendo o Caribean Festival e passsamos por lá no sábado. Um clima super agradável… música animada, comida típica, barraquinhas vendendo de tudo um pouco.. roupas com a nossa cara mais latina, bijuterias e até roupas de frio vindas do nepal.. uma mistura e tanto. DSC01094

O legal é que o festival era dividido em duas ilhas. De um lado o palco com shows (não somos do caribe mais teve música brasileira  tbem), um jeito mais familia, o povo na grama, milho, refrescos, total relax…. na outra o cercadinho da bebida. Ali o festival pegava fogo. DSC01091

Beer

Um detalhe a comentar: Aqui é proibido beber em lugares públicos. só se pode consumir bebida alcoolica em bares  ou em casa. E elas só são vendidas em bares ou em lojas chamadas “Liquor Store”, lojas que tem que ser autorizadas pelo governo até onde sei…

Então em alguns festivais eles criam esse cercadinho para que o pessoal possa beber. O local é todo fechado e tem seguranças na entrada e saida e alguns circulando dentro. Menor de idade nem pensar.

Outro detalhe é o preço da cerveja. Ser viciado em cerveja aqui não é para qualquer um. Acho o preço bem carinho. Um copo como esse ai na minha mão na foto, que equivale a uns 250 ml ou 300.. custa 5 dolares. Em alguns bares as vezes vc encontra Pintcher ( que sao jarras) mais baratos (de 7 a 12 dolares)… compensa mais pelo menos.

O último detalhe.. a cerveja aqui nem de longe é gelada como a nossa!!!!. kkk

Virgin Festival

DSC01109 Pra terminar o fim de semana. Ganhamos um par de ingressos em uma promoção de um jornal daqui para o Virgin Festival em Burnaby. Eu que não tenho lá muita sorte em concursos fiquei animadissima.. e fomos ao Deer Lake Park para conferir.

O  Virgin Festival acontece em várias cidades canadenses. É um festival de rock alternativo patrocinado por uma companhia telefinica daqui. Fomos no domingo e assistimos ao show do Ben Harper. Adoramos!

O que mais gostamos foi o clima do local. Nada daqueles shows com todo mundo se esmagando, mas um bem woodstock: o povo sentado na grama. Gente de toda a idade. Super gostoso de ver.

O local tbem foi muito bem aproveitado com o cercadinho da bebida, várias barraquinhas de comida e de empresas locais.. Um lugar para descanso com pufs e cositas mais.. bem interessante. Valeu!

I need go now….

Kisses for evebody e até a próxima.

TCHAU See you!

Ah! ai embaixo, deixo um video mostrando um pouco do festival.. e também uma brincadeira com o Marco. É que nós não somos assim tão fãs de rock.. mas foi divertido conhecer….

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Fireworks

Sempre adorei o filme mágico de Oz. Gosto da mensagem por trás da historia, de que todas as respostas sempre estão com vc e, que sonhos podem ser alcançados e que só dependem de nos.

Bem, mas não estou aqui para falar do mágico de Oz. Pelo menos não diretamente. Já vi varia versões da história, mas ontem a acompanhei de uma forma completamente diferente e encantadora. Dessa vez, A trilha sonora não embalou pessoas, ou bichos, ou animações. Embalou luzes. 25 minutos de fogos de artifício nos contando a historia de Dorothy e seus amigos e a busca por seus sonhos.

Fiquei apaixonada!


Fireworks
Ontem foi o primeiro dia do "HSBC Celebration of Lights" - uma competição de fogos de artifícios aqui em Vancouver.

.

.

.

.

.

.

.

.

A competição acontece durante quatro dias. Ontem foi a noite do Canadá (com o tema ”O mágico de OZ"). Sábado e a vez da África do Sul. Ainda temo UK, na próxima quarta (29/07) e China no próximo sábado (01/08).

A apresentação de fogos acontece na English Bay, mas tbem pode ser assistidos de diversos pontos da cidade, como Kitsilano, jericho beach,West Vancouver. Mas a vantagem de ir a English bay e poder ouvir a musica que acompanha as luzes e também sentir a vibração do pessoal.

Começa às 10 da noite, mas o ideal e ir mais cedo e garantir um cantinho na areia. Alem do que, tem que ir preparado para enfrentar uma boa caminhada e filas nos ônibus e skytrain para voltar para casa, mas vale à pena.

Fiz um vídeo de 2 minutos com alguns dos, que foram para mim os melhores momentos da apresentação de ontem.

Abraços a todos que passam por aqui..

See you.


video

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Mountain View

Voltando a falar do meu cemiterio vizinho, semana passada ele foi reaberto, com direito a tour guiados, apresentacao de musica classica, e algumas pessoas ate arriscaram um timido piquenique por la.


A ideia da administracao e que o cemiterio seja mais utilizado pelas pessoas como um parque mesmo. Eu que ja me acostumei a usar o meu vizinho para caminhadas, descobri algumas coisas bem legais por la.



Primeiro que eles construiram um espaco com jardim, fontes e banquinhos. lindissimo! Uma paz para relaxar ou estudar... recomendo.


Outra coisa legal que eles fizeram foi um jardim em homenagem aos recem nascido enterrados no local... ta ficando uma gracinha. O predio do escritorio e um salao para eventos tambem foram construidos.




No inicio era bem estranho imaginar utilizar um cemiterio como parque, mas aqui eles sao muito cuidadosos e realmente valorizam a utilizacao dos espacos.

Curiosidades
O meu cemiterio vizinho (Mountain View Cemitery) e o unico que fica dentro da cidade de Vancouver e funciona desde 1887. Tem pessoas importantes da cidades enterradas la, Um espaço onde so os judeus ortodoxos sao enterrados. Este lugar é delimitado por um " evergreen hedge" .
Perto tem um santuario Chinês budista, construído em um bloco de dezesseis covas, onde os serviços religiosos são mantidos para os mortos, sempre tem incensos queimando.
Ha ainda uma parte dedicada aqueles que morreram na guerra.













segunda-feira, 13 de julho de 2009

Alice no país das maravilhas

DSC01037

DSC01010"Alice in Wonderland" ou Alice no pais das maravilhas, é a obra mais conhecida de Lewis Carroll e uma das mais célebres do gênero literário nonsense, sendo considerada obra clássica da literatura inglesa..

Estou falando desse livro porque este fim de semana, dezenas de Alice’s circularam em um parque aqui em Vancouver. Alices altas, baixinhas, loirinhas, morenas ou asiáticas... comportadas, improvisadas ou sexy... o importante era sentir se parte de um mundo fantástico.

Além da personagem principal Alice, ainda encontramos o chapeleiro louco, uma mesa montada para o chá, cavaleiros, rainhas, coelhos.... e outros personagens fantásticos, alguns que não estavam na obra de Lewis Carrol, mas que resolveram visitar o “trout Lake Park” assim mesmo.

DSC01022Este foi o 15 ano do festival Alice in Wonderland tea party. Muita gente foi fantasiada e outros só para se divertir, fazer piquenique no parque ou rir um pouco das fantasias.

Também teve apresentações teatrais e uma grande mesa com bolo, frutas e chá, para que quisesse provar. Tudo by donation, ou seja vc pagava quanto pudesse pela comida.. ou levava a sua própria, como alguns grupos fizeram.

Ah! Também teve banda e até uma parada de Alice’s.

Sobre o livro

O livro conta a história de uma menina chamada Alice que cai em uma toca de coelho e vai parar num lugar fantástico povoado por criaturas peculiares e antropormoficas.

A obra faz brincadeiras e enigmas lógicos, o que contribuiu para sua popularidade. Carroll também faz alusões a poemas da era vitoriana e a alguns de seus conhecidos, o que torna a obra mais difícil de ser compreendida por leitores contemporâneos. É uma das obras escritas da literatura inglesa que tiveram mais adapDSC01009tações na história do cinema, TV e teatro.

Essa obra foi fundadora de um novo jeito de história, o surrealismo, e tem uma enorme importância literária, sendo uma história aparentemente infantil, porem com uma mensagem subliminar que poucos conseguem compreender.

O livro pode ser interpretado de várias maneiras. Uma das interpretações diz que a história representa a adolescência, com uma entrada súbita e inesperada (a queda na toca do coelho, iniciando a aventura), além das diversas mudanças de tamanho e a confusão que isso causa em Alice, ao ponto de ela dizer que não sabe mais quem é após tantas transformações (o que se identifica com a psicologia adolescente). Também é possível dizer que a obra faz referências a questões de lógica e à matemática, matéria que Carroll lecionava. Um exemplo é o debate que Alice faz com o Chapeleiro e a Lebre de Março sobre relações inversas (o Chapeleiro argumenta que ver o que se come não é o mesmo que comer o que se vê.

"Você pode chegar a qualquer parte, sempre que andar o suficiente." – Lewis Carroll em Alice no País das Maravilhas.

Mais fotos do Festival

DSC01006 DSC01015 DSC01013 DSC01018

DSC01017 DSC01019 DSC01035

DSC01023 DSC01033 DSC01031 DSC01029

TCHAU See you…

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Chuchitos…

DSC00968 Hoje experimentei tradicional comida maia. Uma das senhoras do grupo onde voluntario é da guatemala e cozinhou para nós hj.  A comida é feita com frango, um molho picante com bastante cebolinha verde e coentro e chuchu. Uma delicia!

Pra acompanhar ela trouxe uns bolinhos que se parecem com pamonha. Também sao feitos com milho e leite e cozido na palha do milho.. mas nada parecido com as nossas pamonhas brasileiras.

Deu uma saudade danada de morder uma daquelas pamonhas doces da minha mãe ou uma daquelas temperadas vendidas lá na feira da 304 sul em Palmas.

A pamonha da dona Paula (que se chama chuchito)  não era ruim não.. mas bem diferente, começando pela cor branca do milho. Mas não pensem que o milho aqui é ruim não. Em alguns festivais, se tiverem a oportuniddae de provar, comam o milho que eles fazem assado no bafo.. ( na churasqueira tipica daqui)... É div ino! tem um sabor muito próprio.. doce, levemente salgado.. dificil de descrever.. mas muito bom.

Agora falando da comida da guatemala...

Berço da civilização Maia, a Guatemala possui uma gastronomia tão rica quanto antiga. No dia-a-dia, o milho é o ingrediente coringa em pratos como tortillas, Enchiladas, Chuchitos e Tamalitos.

Além do milho, a pimenta e o feijão são iguarias que se destacam. Uma característica forte da culinária é que tudo é feito com base no modo de preparo dos antepassados, como exemplo o tomate, a cebola e o alho, que são cozidos em uma chapa e não na panela.

Guatemala e os maias. untitled

Situada na América Central e tendo por vizinhos o México, Honduras e Belize, a Guatemala tem a particularidade de  cinquenta por cento da sua população ser de origem Maia, e muitos dos restantes ladinos, isto é, mestiços.

O número e as raízes profundas da sua cultura justificam que esta continue viva apesar das agressões contínuas; afinal, esta é a civilização que desenvolveu um calendário onde já se previam os eclipses do Sol e da Lua, conhecia o conceito de zero em matemática, e foi este o primeiro povo da região a criar uma escrita própria e a possuir livros.

 

TCHAU See you…

quarta-feira, 8 de julho de 2009

I’m from Hong Kong

 hong_kong_pol98

Hongers é como o pessoal de Vancouver chama aqueles que vem de Hong Kong.  Usar essa palavra para denominar os chineses vindos de Hong Kong é uma particularidade de Vancouver, estava me explicando a minha professora de inglês, que tbem veio de Hong Kong.

Resolvi falar disso, porque me chama a atenção como o pessoal vindo de Hong Kong não gosta dos chineses vindos da China. Muito estão aqui no Canadá, justamente porque não aceitaram Hong Kong ter voltado ao dominio chinês.

Quando vc conversa com alguem vindo de Hong Kong não o chame de chinês, ele nunca vai te dizer que veio da China, vai te dizer: Ï`m from Hong Kong”. É assim que eles se sentem, estava me explicando a professora. “Consideramos Hong Kong superior a China”, me disse ela.

Para quem não sabe, Hong Kong é um grande centro internacional de finanças e possui umas das economias mais liberais do mundo. Antiga colônia britânica agora é administrada pelo governo chinês, mesmo assim ainda possui bastante diferenças da China, como um próprio sistema legal, moeda, regras de trânsisto e leis de imigração. artist

Outra curiosidade é que a maiorias das pessoas que vem de Hong Kong não fala m andarin, mas Cantonês. O cantonês na verdade é um dialeto chinês, mas possui status de língua, inclusive com literatura própria. Aqui aprendi que é errado dizer que o chinês fala chinês: ele fala mandarin ou cantonês. Fique atento!

800px-Hong_Kong_Night_Skyline

terça-feira, 7 de julho de 2009

Canada Day

DSC00874

Tudo bem! sei que ando um pouco atrasada, afinal o Canada day foi a uma semana atras. Mas, ja dizi o ditado:  “Antes tarde do que nunca”. rs

Esse foi o nosso primeiro Canadá day. Então ficamos naquele clima de quem não quer perder nenhum detalhe. Começamos o nosso touDSC00949 r pelo Canadá Place. O lugar estava lotado e cheio de atrações e shows. Senti que erDSC00882a mais um lugar para turistas ou recem chegados como a gente. A maioria dos moradores de Vancouver ou do pessoal que ja mora aqui a algum tempo prefere procurar um lugar mais tranquilo.

O Canada fez 141 anos. A data aqui seria o equivalente no Brazil, ao dia da independencia, mas a comemoração é bem diferente. Eles comemoram o pais, as pessoas, o estilo de vida canadense, a diversidade.. é bem interessante.

Além do Canadá Place fomos a Granville Island, onde estava rolando o jazz festival e também o Mela – um festival cultural bem legal. Assistimos algumas apresentações de musica indiana, africana e jamaicana.. Uma animação só.

Enecerramos o dia na Geórgia Street assistindo a Parada… mas não deu pra ver muita coisa, porque o lugar tava lotado. Ano que vem queremos chegar mais cedo. Mesmo assim deu pra capturar algumas cenas que eu to postando no video ai embaixo. DSC00879

DSC00951 Guerra e Paz

No mais, algumas coisas chamaram a nossa atenção nesse Canadá Day. Uma delas foi a liberdade de expressao do canadense. Enquanto o exercito, a marinha e a aeronautica faziam uma mega exposição e centenas de pessoas tiravam fotos com soldados, em aviões, ou com bazucas, do lado uma timida manifestação contra a presença do Canadá na guerra no afeganistão. O Canadá, assim como o Brazil, é um pais que nunca se envolveu em guerras. É um país de paz (no caso do Brazil é complicado,porque em algumas cidades brasileiras a guerra é urbana e todos os dias fere e mata centenas).

Voltando ao Canadá, muita gente é chateada com o fato do governo canadense ter apoiado a guerra no afeganistão. “Como um país que refugia pessoas, pode ir a guerra?” enfatizou uma das manifestantes enquanto conversava com a gente.

Hino do Canadá

Outra curiosidade é que é no Canada day que o governo canadense realiza a cerimonia de entrega da cidadania. Nada melhor que o dia do Canadá, para começar a ser cidadão canadense. E para ser cidadão, o hino ai embaixo tem que estar na ponta da lingua.

“O Canada! Our home and native land!
True patriot love in all thy sons command.
With glowing hearts we see thee rise,
The True North strong and free!
From far and wide, O Canada,
We stand on guard for thee.
God keep our land glorious and free!
O Canada, we stand on guard for thee.

O Canada, we stand on guard for thee!”

Tradução da letra:
Ó, Canadá! Nossa casa e terra nativa!
Verdadeiro amor patriota, em vossos filhos comanda.
Com corações em brilho nós vemos vós ascender
O Norte Verdadeiro forte e livre!
De longe e largo, ó, Canada,
Nós ficamos de guarda para vós.
Deus guarde nossa terra gloriosa e livre!
Ó, Canadá, nós ficamos de guarda para vós.
Ó, Canadá, nós ficamos de guarda para vós!

 

Algumas imagens da Parada do Canada day em Vancouver

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Qualquer semelhança é mera coincidência

Um titulo sugestivo talvez, mas o motivo é que tenho encontrado muitas semelhanças entre Vancouver e o litoral catarinense. Alguns pontos desta cidade tem trazido a minha mente, lembranças das cidades catarinenses onde tive o prazer de morar por muito tempo como Balneário Camboriú e Florianópolis.BALNEARIO VERSUS VAN

A primeira dessas semelhanças me encontra com mais freqüência; principalmente quando vou ao trabalho em North Vancouver e de lá vejo o centro da cosmopolita Vancouver: o mar e exuberantes arranhas-céu que muito me lembram Balneário Camboriu com seus predios modernos e charmosos.

No entanto, quando revisito a Balneário dos anos 80, com uma arquitetura mais nostálgica de prédios quadrados, como os velhos edifícios Miramar, Imperador e o Diplomata, é para a English Bay que eu viajo.

Quando passo pela English Bay, sempre fico um pouco nostálgico, sentindo o que era a minha Balneário Camboriu com turistas vindos de todas as partes do Brasil e do Mercosul para usufruir as praias e as belezas naturais de Balneário Camboriu.

Na última terça-feira, fui a Victória e durante a viagem, enquanto avistava a ilha de Vancouver recordava de Ilha de Florianopolis vista da cidade de Governador Celso Ramos. Quem já teve a oportunidade de visitar Governador celso Ramos vai se lembrar que, de todas as suas principais praias é possível avistar Ilha de Santa Catarina – Florianopolis.

ilhas

Mas de todas as semelhanças que fui encontrando por aqui, a que mais me chama a atenção e a vista noturna da Lions Gate Bridge, ponteque muito se parece com a ponte Hercílio Luz, marca registrada de Florianópolis.

Ambas mostram toda a sua beleza quando o sol se põe e as luzes se acendem. Da mesma maneira que, as duas, tem uma história de muito esforço e dedicação empregado em sua construção. História que, para mim, sempre foi inspiração para superar obstáculos e prosseguir na busca de meus projetos. Na foto ai do lado, se vc se confundiu, a resposta estara no final do texto.

Em Florianópolis, enquanto fazia faculdade, sempre me surpreendia observando a ponte Hercílio Dias, que é motivo de muito orgulho para aquela cidade, assim como a Lions Gate aqui.

Agora, nesta nova vida, com novos projetos para construir e metas para alcançar, me conforta observar a Lions Gate e saber que, como muitos vancouverites, posso ter aquele monumento histórico e arquitetônico como fonte de inspiração.

Agora observe vc mesmo as fotos ai e talvez, vc descubra que elas são mesmo muito parecidas ou que, na verdade, a única semelhança entre elas é que todas fazem parte de mim e da minha história.

(Pra esclarecer, na foto das pontes a de cima é a Lions Gate Bridge e abaixo a ponte Hercilio Luz)

See you

texto postado por Marco.